Hipertensão Arterial infantil: escalada rápida e silenciosa

2019-08-29T18:21:41+00:00 29/08/2019|

Com o aumento da Hipertensão Arterial na população infantil,  Pro Criança Cardíaca alerta para a importância de medir a pressão nas consultas pediátricas, em consonância com a Sociedade Brasileira de Pediatria. 

Estudos mostram que a Hipertensão Arterial (HA) primária vem aumentando nos últimos anos em crianças acima de seis anos que têm sobrepeso, ou obesidade, ou história familiar positiva para a doença. Os cardiologistas pediatras do Pro Criança Cardíaca têm comprovado essa escalada entre os pacientes atendidos pela instituição e alertam para a importância de medir a pressão arterial (PA) a cada consulta pediátrica, já que, muitas vezes, a HA pode passar desapercebida. Em geral, crianças e adolescentes hipertensos são assintomáticos. Apenas alguns apresentam quadro de cefaleia, irritabilidade e alterações do sono.

O projeto faz coro com o Manual de Orientação “Hipertensão arterial na infância e na adolescência” publicado em abril de 2019 pelo Departamento de Nefrologia daSociedade Brasileira de Pediatria. No documento (http://bit.ly/2vXQ802), a SBP diz que “o interesse no estudo da HA nas crianças e adolescentes é antigo, porém, ainda hoje, o diagnóstico tem sido feito de forma tardia, por causa da falta de inclusão da medida da pressão arterial como rotina no exame físico da criança”.

Dra. Isabela Rangel, Diretora Médica do Pro Criança Cardíaca, destaca a importância de medir a pressão arterial em cada consulta médica, principalmente no caso de crianças obesas, ou que tomam medicamentos que podem elevar a PA, que têm doença renal, que são diabéticas ou com história de coartação da aorta. “O pediatra também deve fazer essa medição no período neonatal, para afastar doenças cardíacas e renais, entre outras”, destaca.

“Temos recebido cada vez mais pacientes com hipertensão arterial e a maioria sem uma causa secundária. Atribuímos o aumento da HA primária ao sedentarismo cada vez maior na população pediátrica, à alimentação inadequada, associados a história familiar positiva para hipertensão e ao aumento do estresse”, afirma Dra. Rosa Celia, fundadora e presidente da instituição.


HIPERTENSÃO ARTERIAL PRIMÁRIA E SECUNDÁRIA:
SAIBA A DIFERENÇA

A HA primária é aquela que atinge a maior parte da população – inclusive crianças e adolescentes – e não tem causa médica identificável. Na maioria das vezes, ela se deve ao estilo de vida, que inclui elevada ingestão de sal e de calorias, fatores que conduzem ao peso excessivo ou obesidade, diretamente relacionados à elevação da pressão arterial (PA).

Já a HA secundária, nas crianças, é causada por doenças identificáveis, entre elas trombose da artéria renal, estenose da artéria renal, malformações congênitas renais, coartação da aorta, displasia broncopulmonar, doenças do parênquima renal e hipertensão arterial primária.

QUAIS OS VALORES DA PRESSÃO ARTERIAL NA INFÂNCIA?

A análise da pressão arterial na infância usa como referência valores normais da pressão arterial sistólica e diastólica em crianças e adolescentes da mesma idade, sexo e percentil de estatura. Na infância, percentil acima de 95 é sinal de hipertensão instalada.