A vida essencialista: no nosso tempo e na nossa escala

2019-08-28T15:54:27+00:00 08/07/2019|

Ao ler o livro “Essencialismo – A disciplina busca por menos“, de Greg Mckeown, me deparei com o seguinte trecho e resolvi dividi-lo com vocês.

“Tudo começou quando ele estudava para se tornar advogado na Inglaterra. Vindo de família rica e tendo boas perspectivas profissionais, o futuro parecia brilhante. Todo dia, acordava com uma sensação de certeza. Tinha clareza de seu principal objetivo: estudar para se formar em Direito e depois levar uma vida confortável. Mas então ele aproveitou uma oportunidade de dar a volta ao mundo e tudo mudou.

Mohandas K. Gandhi foi à África do Sul e viu a opressão. De repente, descobriu um propósito mais elevado: a libertação dos oprimidos do mundo inteiro.

Menos de 10 pertences

Com essa nova unicidade de propósito, eliminou tudo o mais da vida. Chamou o processo de “reduzir-se a zero”. Passou a vestir tecidos feitos por ele mesmo (khadí) e inspirou os seguidores a fazerem o mesmo. Ficou três anos sem ler jornais porque descobriu que seu conteúdo só acrescentava confusão não essencial à vida. Passou 35 anos experimentando para simplificar a alimentação. Passava um dia por semana sem falar. Seria pouco dizer que evitava o consumismo; quando morreu, tinha menos de 10 pertences.

É claro que o mais importante foi ter dedicado a vida a ajudar o povo da Índia a conquistar a independência. Intencionalmente, nunca defendeu nenhuma posição política, mas na Índia tornou-se oficialmente o “pai da Nação”. Sua contribuição, porém, foi muito além da Índia. Como disse o general George C. Marshall, secretário de Estado americano, por ocasião do falecimento de Gandhi: “Gandhi foi o porta-voz da consciência da humanidade, um homem que tornou a humildade e a simples verdade mais poderosas do que impérios.” E Albert Einstein acrescentou: “As futuras gerações mal acreditarão que um homem como esse já caminhou em carne e osso sobre a Terra.”

Simplicidade, contribuição e significado

É claro que não precisamos ser exatamente como Gandhi para nos beneficiar do exemplo de alguém que viveu totalmente como um essencialista. Todos podemos eliminar da vida o que não é essencial e este seguir o caminho à nossa maneira, no nosso tempo e na nossa escala.
Todos podemos levar uma vida não só de simplicidade como de grande contribuição e significado.

TOME CUIDADO COM A ARIDEZ DE UMA VIDA OCUPADA
Sócrates